You are here

[AEFEUP] O encerrar de um ciclo!

Na passada sexta-feira, após a tomada de posse dos novos órgãos sociais da Associação de Estudantes, cessei as minhas funções como Presidente da Direcção da AEFEUP, compromisso que assumi durante os últimos três anos. Este dia devia ter um significado especial pela positiva para mim, deveria ser um dia de reflexão sobre tudo aquilo que construí durante esse período, sobre tudo o que vivi, sobre tudo o que aprendi... Assim não o foi! Revelando uma enorme imaturidade e um profundo desrespeito por mim e pelos elementos da Direcção que me acompanharam, fui impedido de me dirigir pela última vez enquanto Presidente da Direcção a todos os parceiros da AEFEUP e aos estudantes que orgulhosamente representei e em prol dos quais tive o maior orgulho de trabalhar. No entanto, não posso permitir que tal aconteça e, embora tenha sido impossibilitado de o fazer durante a cerimónia, endereço-vos algumas palavras de despedida.

Hoje dá-se o encerrar de um ciclo! Sim, um ciclo! Por mais que me esforce, não consigo encarar o dia de hoje como o final de apenas um mandato! Sendo sincero, não consigo, não posso e não quero! Na realidade, não é o término do mandato 2008/2009. É o terminar de um período da minha vida e de alguns dos que me acompanharam! É o culminar de três anos de trabalho em que os benefícios foram, sem dúvida nenhuma, muitos mais que os prejuízos!

Olhando para trás, longe ficou o início! Há cerca de três anos, no auditório da Faculdade de Engenharia, assumi o compromisso de erguer bem lá de baixo uma das maiores Associações de Estudantes do país e, em prol dos estudantes da FEUP, transportá-la para o patamar onde deverá sempre estar. O desafio era enorme mas eu e os meus nunca lhe virámos as costas. Movidos pelo espírito de sacrifício que sempre nos caracterizou, pela vontade de dar provas da nossa capacidade a todos aqueles que duvidavam de nós e pelo apoio de todos aqueles que sempre acreditaram que éramos capazes, lutámos dia após dia para atingir as metas que havíamos definido.

Sempre nos propusemos a planos ambiciosos e nunca deixámos que a terrível situação em que encontrámos a AEFEUP nos inibisse de os concretizar. No início, devo admitir que a pressão dos obstáculos difíceis que tivemos que ultrapassar me fez ter alguns comportamentos mais impulsivos e desagradáveis com aqueles que estavam ao meu lado. No entanto, a amizade que nos une falou sempre mais forte e soubemos sempre entender-nos.

Termino hoje um percurso que reconheço não ter sido fácil e muitas vezes só foi possível sacrificando a minha vida pessoal e o meu percurso académico em prol da causa maior à qual decidi dedicar-me. Por vezes, o curso teve que esperar pois a entrega daquele trabalho ou aquele teste era menos urgente que a reunião urgentíssima no IPJ, na FEUP ou até mesmo na Reitoria da Universidade do Porto. Embora vivendo na mesma casa, chegaram a passar-se várias semanas sem que os meus pais me pusessem a vista em cima, pois a AEFEUP não tem horário de saída. Perdi a conta à quantidade de vezes que os meus amigos tiveram que esperar ou simplesmente não contar com a minha companhia porque a garantia de sucesso das actividades da AEFEUP foi sempre prioritária.

Felizmente tudo isso tem um retorno! É insubstituível o sentimento de dever cumprido, a oportunidade de olhar para trás e recordar tudo o que concretizámos e o modo como o fizemos, todas as ideias e projectos cimentados, a satisfação de saber que construímos uma máquina que, em alguns momentos, até parecia que funcionava sozinha.

A todos os que fizeram parte da equipa que comigo trabalhou, fica o mais sincero agradecimento por terem confiado em mim, pelo empenho e competência com que desempenharam as suas funções enquanto dirigentes associativos, mas, mais importante que isso, pela amizade que fizemos, pelo que me ensinaram e pelo que me permitiram aprender e concretizar...

Despeço-me da Direcção da AEFEUP como Presidente, mas não como estudante da FEUP que tem o direito e dever de participar activamente na vida da Associação de Estudantes. Por isso, hoje não olho só para o passado mas também para o presente e futuro da mesma. Deste modo, permitam-me que teça algumas considerações com as quais me sinto algo incomodado e preocupado e que penso ter o dever de partilhar convosco.

Durante estes três últimos mandatos, as Direcções da AEFEUP que liderei, foram alvo de algumas críticas. Agradeço a todos aqueles que se esforçaram por efectuar análises construtivas e de me fazer chegar as suas sugestões para que a AEFEUP evoluísse ainda mais. Mesmo aquelas com que discordei, mas que revelavam intenções genuinamente positivas, auxiliaram-nos nas nossas tarefas, dando-nos pontos de vista diferentes que originaram novas ideias.

Contudo, devo expressar o meu descontentamento pelo facto de a maioria das críticas que recebi surgirem com um espírito negativo e destrutivo, servindo de pretexto para que algumas pessoas tentassem concretizar as suas ambições pessoais. Prova disso é que, ao invés de surgirem durante o desenrolar dos mandatos, quer durante as Assembleias-gerais realizadas, quer através do contacto directo com os membros da Direcção, em que sempre nos mostramos disponíveis para esclarecer todas as questões acerca das actividades e desempenho da Direcção da AEFEUP, estas opiniões discordantes e, muitas vezes, falaciosas surgiram apenas durante o período eleitoral ou muito próximo do mesmo.

Numa próxima campanha eleitoral, espero que as críticas mencionadas nos manifestos eleitorais ou proferidas por elementos das listas concorrentes sejam sempre devidamente fundamentadas e que não surjam apenas durante o mês de Maio, mas sim no momento em que as pessoas identificarem as supostas falhas.

Ficam algumas questões no ar…
Como é que se lida com tanto desrespeito?
Onde está o reconhecimento?
O que está realmente em jogo nas eleições para a AEFEUP?
Será que vamos continuar a encarar a AE como uma brincadeira de crianças, em que podemos fazer todo o tipo de acusações, com total leviandade e sem sermos responsabilizados?

Durante três anos, adoptei uma postura séria e responsável, preocupando-me apenas em dar o melhor de mim para, sendo os interesses dos estudantes da FEUP a nossa prioridade e esses mesmos estudantes os maiores beneficiários do meu trabalho. Desejo que um dia todos pensemos assim, pois é com o maior orgulho que hoje posso afirmar que foi, com esta atitude, que obtivemos resultados extraordinários. Para quem tem dúvidas, façamos uma pequena retrospectiva do que foram estes três mandatos.

Em resumo, cheguei à Direcção da AEFEUP com um plano ambicioso em relação ao que as anteriores Direcções vinham realizando e perfeitamente convencido de que nada me impediria de o tornar uma realidade. É então que me deparo com uma conjuntura financeira gravíssima causada pelas dívidas herdadas da Direcção do mandato de 2005/06 e pela complicada situação fiscal da AEFEUP. Como se não bastasse, existiam ainda alguns processos jurídicos por resolver.

Em resumo, a AEFEUP em Junho de 2006, aquando do meu assumir como Presidente da Direcção, compreendia:
- cerca de 150 mil euros em dívida;
- vários processos jurídicos em tribunal;
- 25 actividades realizadas no mandato de 2005/06.

Marcados pelo rigor orçamental, por uma gestão competente e eficaz do património da AEFEUP, captando apoios de algumas instituições e estabelecendo parcerias com várias entidades, a evolução da Direcção da AEFEUP foi extraordinária, como podem todos constatar. Em síntese:

No final do mandato do ano lectivo 2006/07:
- a AEFEUP tinha um saldo negativo de 60 mil euros
- 2 processos jurídicos a decorrer
- relançámos a Engenharia Rádio
- remodelámos o site da AEFEUP, tornando-o mais apelativo e funcional
- lançámos o conceito da Semana de Engenharia On Tour
- implementámos um modelo de gestão das Selecções da AEFEUP mais eficiente, o qual se traduziu em melhores resultados desportivos
- realizámos 30 iniciativas com sucesso e adesão significativa
- a Direcção da AEFEUP tornou-se a presença mais assídua da Academia do Porto em todos os fóruns de discussão do Ensino Superior, quer sejam eles os órgãos de gestão da FEUP ou da Universidade do Porto, quer sejam estruturas do movimento associativo regional ou nacional.

No final do mandato do ano lectivo 2007/08:
- todas as dividas saldadas
- nenhum processo jurídico por resolver
- a AEFEUP Snowtrip passou a ter duas edições
- realizou-se o I Ciclo de Conferências da AEFEUP
- a I Semana da Saúde da AEFEUP foi uma realidade;
- organizámos a I AEFEUP Surftrip;
- teve lugar o I Arraial de Engenharia;
- dinamizámos o Campeonato Universitário do Norte de Surf e Bodyboard
- elaborámos e propusemos os novos Estatutos da AEFEUP aprovados em Novembro de 2007
- elaborámos e propusemos dois documentos que, associados aos Estatutos da AEFEUP, promovem e regulamentam a relação existente entre a Direcção da AEFEUP e os Núcleos AEFEUP e entre a Direcção da AEFEUP e as Comissões de Curso
- foram realizadas 35 actividades
- a Direcção da AEFEUP, além da mais assídua, assumiu-se como uma das mais interventivas nos órgãos de gestão da FEUP e da Universidade e nas estruturas como a Federação Académica do Porto ou os Encontros Nacionais de Direcções Associativas.

Em Junho de 2008 a realidade da AEFEUP era bastante distinta e para bem melhor, a todos os níveis: a nível financeiro, a nível da sua organização interna, a nível da defesa e representação dos seus associados, a nível da promoção de eventos em todas as vertentes...

A representação da AEFEUP, em termos de Política Educativa, estava em todo o lado, no Conselho Pedagógico da FEUP, na Federação Académica do Porto, nos Encontros Nacionais de Dirigentes Associativos, na Secção Autónoma das Associações de Estudantes da U. Porto e na Secção Permanente do Senado da U. Porto. As actividades cada vez mais arrojadas levaram de boca-em-boca a mensagem de que Engenharia estava aberta à academia e, inevitavelmente, começámos a contar com participantes de toda a academia nas mais diversas iniciativas.

Mudámos de instalações para uma casa a que podemos chamar Nossa. Com esta liberdade, recebemos também mais responsabilidade. Era fundamental esta mudança que nos permitiu fazer mais e melhor para uma AEFEUP maior. Permitiu, definitivamente, fazer da AEFEUP um exemplo para todas as Associações de Estudantes do nosso país.

Atravessámos, neste último mandato, um período de mudanças profundas da Universidade do Porto e com a AEFEUP sempre atenta e responsavelmente interventiva.

Cientes de que, com a mudança de instalações, o contacto com os alunos iria ser mais complicado, uma das grandes bandeiras deste mandato era, a todo o custo impedir que tal acontecesse. Quisemos dinamizar o Edifício para trazer os estudantes até nós. Programas semanais de actividades, torneios a decorrer durante o dia, uma esplanada acolhedora e convidativa foram alguns dos ingredientes que levaram a que os estudantes se aproximassem da sua Associação e se identificassem com ela. Foi com gosto e orgulho que recebemos todos aqueles que nos procuraram para pedir apoios, representação, ajuda, para expor os seus problemas nos mais diversos campos.

É com a maturidade e seriedade pelas quais sempre me pautei que pretendo demonstrar a importância de assegurar que este processo de evolução continue e de que a AEFEUP se continue a afirmar no futuro próximo não só como uma das maiores Associações de Estudantes, mas como uma das mais importantes e dinâmicas. Importa estar atento para perceber a competência e responsabilidade que é necessário ter para desenvolver o trabalho que tem sido feito e o profissionalismo daquilo que temos vindo a fazer. É importante fazer sempre as escolhas acertadas em todos os momentos, por muito difícil que algumas tenham sido. Posso orgulhar-me de nunca ter esquecido os meus valores, a causa que me levou a assumir estas funções, em detrimento dos meus interesses pessoais.

Como disse anteriormente, este acto formal significa o culminar de um ciclo, o atingir de um conjunto de objectivos que assumi como prioridade há três anos atrás e que vi cumpridos com brilhantismo no final deste mandato, sendo os maiores beneficiários os estudantes da FEUP.

Nada disto seria possível sem o empenho e dedicação daqueles que me acompanharam durante os últimos três mandatos. A todos eles, devo agradecer por, em conjunto comigo, terem feito com que a AEFEUP esteja neste momento, em primeiro plano, em todos os campos.

Resta-me a esperança de que nenhum dos valores que defendi seja esquecido e que a AEFEUP, que hoje mais do que nunca está preparada para o futuro, use todo esse potencial e se afirme ainda mais como uma presença assídua não só nos fóruns de discussão de política educativa mas, e mais importante que isso, na vida dos Estudantes de Engenharia.

Àqueles que tomaram posse, deixo uma mensagem clara: Façam com que a evolução da AEFEUP não seja interrompida com o meu abandono e daqueles que me acompanharam! Surpreendam-nos! Eu continuarei a trabalhar para isso! A minha participação não termina hoje! Como sempre defendi, qualquer um de nós pode contribuir para o sucesso da AEFEUP e eu continuarei a fazê-lo! Eu estarei atento!

Há três anos atrás, abracei um desafio enorme e hoje posso afirmar com a maior segurança que saí vencedor. Nunca esquecerei todos os que me acompanharam e que me ajudaram a percorrer todo este caminho.

A todas as instituições que nos apoiaram, principalmente à Caixa Geral de Depósitos, à Unicer, à TMN e à FEUP. Sem eles, os nossos estudantes seriam privados de inúmeras actividades.

À minha família, pelo apoio incondicional, pela confiança que sempre depositaram em mim, por compreenderem a importância que este projecto tinha para mim e por perdoarem quando os privei da minha companhia em alguns momentos para solucionar aquele problema inesperado da AEFEUP.

A todos os que neste momento abandonam a AEFEUP, pelo empenho demonstrado, pela dedicação e vontade que demonstraram em concretizar os nossos objectivos. Juntos escrevemos algumas páginas da história da AEFEUP. Connosco, os estudantes da FEUP foram sempre a prioridade da nossa Associação de Estudantes…

PORQUE JUNTOS FOMOS E CONTINUAMOS A SER UNICOS!

Comentários

Devo admitir que após a vossa primeira vitória nas eleições para a Direcção da AEFEUP estava um bocado céptico em relação ao desempenho que teriam. Pensei, como provavelmente muita gente, que era mais do mesmo.

Agora posso dizer que fiquei bem surpreendido. Claro que continua, faz parte, a haver trabalho por fazer, há coisas que falham, mas acho que em bastantes aspectos foi uma melhoria em relação às direcções anteriores.

Parabéns e boa sorte para o futuro. E que quem agora começa, que faça por continuar o trabalho, sem vergonha de o fazer.

Não se tem que mudar tudo sempre que muda a direcção. Só denota inteligente continuar o bom trabalho que já existe.

ass: Simão Belchior de Castro

Caríssimo, Muitos parabéns pela grande obra que fizeste com a AEFEUP. Sem dúvida alguma, a melhor direcção a que assisti(mos) desde 2001. Grande abraço e boa sorte para o futuro! Gonçalo Mendonça

Caro colega,
Apesar de nunca ter participado na associação de estudantes e de algumas vezes ter sido crítico em relação a algumas posições ou falta delas que a vossa lista teve, não posso deixar de fazer justiça agradecendo o trabalho e a dedicação que durante estes últimos 3 anos tiveram.
Fiquei como qualquer aluno da FEUP deveria ficar, chocado e desiludido com os factos ocorridos na tomada de posse, e por isso venho aqui demonstrar a minha indignação.
Sempre ouvi dizer que só temos uma oportunidade para deixar uma primeira impressão e realmente esta nova direcção não começou com o pé direito. E como também diz o povo o que nasce torto tarde ou nunca se endireita…
Acima de tudo as pessoas demonstram que apesar de estarem numa faculdade de engenharia mereciam era andar a “cavar batatas”, não porque seja desprestigiante ser agricultor mas talvez porque tenham educação semelhante às mós de um moinho rudes e frias. O que mais me entristece nisto tudo, é que demonstram não ter postura para momentos institucionais, mais que fazer á que saber ser e estar. Mais grave ainda não e este episódio triste e lamentável é que infelizmente estes serão o futuro do meu país, deste Portugal da mentira e da ignorância em que vivemos, porque eu acredito que a minha geração poderia ser diferente mas iludo-me porque com matéria-prima deste calibre só me resta acreditar na incineração.
Caro Paulo não seio o nome do “burgesso” que não te deixou falar, pena tenho que nem tu nem alguém mais “maduro” na sala não tenha mandado calar essa besta que deixa envergonhados todos aqueles que há mais tempo do que as nossas memória lembram lutaram para que pudéssemos ter liberdade de expressão.
Contudo o novo Presidente da AEFEUP passou a ter uma imagem de um ser desprovido de qualquer legume tomateiro capaz de dominar as feras que tem dentro de casa. Espero honestamente que as coisas ainda possam ter um rumo diferente, uma postura e uma “arte de saber estar” mais digna de um órgão que representa sete mil alunos, e que nesta hora já espalhou arrependimento naqueles que ilusoriamente lhe prestaram o seu voto.
Para que fique o registo ao excelentíssimo burgesso emancipado até pode achar que manda, mas não em mim nem naqueles que comungam do meu pensar, se mandar manda na sua tão triste ignorância porque a mim calar-me só debaixo de terra.

Tiago Antunes Garcia

Caro Paulo

Nunca estivemos juntos nas batalhas do associativismo, mas deixo o meu comentário de apreço e votos de um futuro risonho pois estar a frente da AEFEUP durante 3 mandatos é obra, e um sacrifício pessoal e letivo. Não pude deixar de ficar indignado quando soube o que se passou na tomada de posse de 6ª feira, e como tal venho aqui dar-te todo o meu apoio pela atitude tomada. Como todos os que me conhecem sabem, não me rejo por coleguismos nem por irmandades, tendo sempre os principios de justiça e igualdade presentes no meu dia a dia, o que se passou é inqualificável para a comunidade academica deste casa.

Sem mais, o meu voto de felicidades
João Barros

Ficam as minhas palavras de agradecimento pelo trabalho que tu e a tua equipa realizaram por todos os estudantes da FEUP.

Nenhuma atitude menos digna vos tira o reconhecimento que merecem por parte dos alunos conscientes.

Felicidades.
Ricardo Ferreira

Parabéns pelo teu (vosso) trabalho!

Esperemos que a nova equipa saiba pautar a sua actuação pelos mesmos valores...

Presto aqui uma homenagem à pessoa com quem tive o prazer de trabalhar 2 anos. Ao meu colega e amigo Paulo Vasconcelos:

Simplesmente o melhor dirigente associativo que conheci. Pelo empenho e a sensatez que demonstrou nestes 3 anos à frente da direcção da nossa AE, faz-me pensar até se não é bom demais para os estudantes de hoje. A capacidade de trabalho e de abdicar de muita coisa para se dedicar àquilo que realmente acredita, tão própria do associativismo dos anos 60/70, fariam valorizá-lo muito mais nos tempos em que os estudantes tinham problemas a sério. Hoje não. Para muitos o Paulo foi apenas alguém que se agarrou ao poder durante 3 anos. É pena...

Lembro-me de entrar na AE, numa tarde de Junho de 2006. Lá estava o Paulo, na sala da presidência, a tentar recuperar os computadores danificados pela antiga direcção.

Lembro-me de quando saía do antigo estúdio da Rádio às 2 da manhã. Batia na porta da mesma sala. Lá estava o Paulo, debruçado sobre os papéis, virando as páginas com uma mão e fumando com a outra.

E em plenas férias grandes de 2007... Trabalhava-se na sala de política educativa na leitura e resumo do RJIES. E o Paulo era presença constante aparecendo sempre para dar uma opinião e um conselho, por entre os milhares de assuntos que tinha de tratar como presidente.

Fosse qual fosse a hora do dia ou a altura do ano, havia grande probabilidade de encontrar o Risinhos na associação. E tinha sempre uma palavra de incentivo para os que trabalhavam com ele. Ouvia, ponderava, tomava decisões.

Tive a oportunidade de contactar com alguns dirigentes associativos a nível nacional. Aos poucos fui-me apercebendo que as capacidades do Paulo iam muito além de um simples presidente competente.

Paulo,

é pena vermos o nosso trabalho ser julgado por meia dúzia de miúdos que não sabem o que é uma associação de estudantes. Mas como tu dizes, é um ciclo que termina. Haverá outros bons presidentes daqui para a frente, mas a mim ninguém me tira a satisfação de ter pertencido a esse ciclo!

Na minha opinião, o inegável sucesso da AEFEUP tem nome: chama-se Paulo Vasconcelos e foi alvo das maiores injustiças que já vi, fruto de uma politiquice sabuja daqueles que nem sabem o que é política...

Obrigado Paulo. Fica aqui um humilde reconhecimento de um amigo,

Miguel Heleno

Obrigado Paulo e toda a equipa da AE nestes últimos anos, desenvolveram um trabalho excelente que eu e tanto outros não esqueceremos de certeza.

A maneira como tantos e tantos "feupinhos" votam é no mínimo... inconsciente!

Boa sorte para o futuro!

"É insubstituível o sentimento de dever cumprido" (nem mais)

Obrigado

Diogo Borges

Olá Paulo,

...1 grand abc p\ td o trab realizado na aefeup nos ult 3 anos!

Obrigado,

Renato Pinto Velho

Foi com grande felicidade minha que integrei essa equipa por ti liderada, onde aprendi e fiz muitas amizades, ao fim de 3 anos de trabalho é triste que haja pessoas que não consigam reconhecer o trabalho de uma pessoa leal, capaz e acima de tudo bastante trabalhadora como tu é Paulo. Deixo aqui as minhas palavras de agradecimento por tudo que aprendi e vivi com a equipa que tão bem lideraste durante estes últimos 3 anos. Porque como sempre disseste JUNTOS SOMOS ÚNICOS.

Assisti até hoje a 3 direcções AEFEUP diferentes.
Admito que no meu primeiro ano pouca atenção prestei ao trabalho desenvolvido pela associação, mas no segundo ano passei a estar bem mais atento e pude assistir a verdadeiras asneiras, que me envergonhavam enquanto aluno da FEUP. Foi bem notória a diferença desse ano para o teu primeiro ano enquanto presidente.
Com o grupo que lideraste uma coisa ficou clara: não era tudo igual, não era indiferente quem estava "na AEFEUP".
Acredito que é sempre possível melhorar, mas se a presente associação mantiver o nível da anterior, já fico satisfeito.
Os meus parabéns pelo trabalho desenvolvido, principalmente na área da política educativa, que tanta gente ignora (devem pensar que AEFEUP só mexe com o recreativo), talvez por isso a diferença sentida nas eleições.

Ricardo Rodrigues

Para começar os meus Parabéns!

Foste o único presidente da associação de estudantes da FEUP que conseguiu um mandato por três anos na história da nossa faculdade. Por mais críticas que recebas destrutivas, construtivas ou elucidativas é de louvar o trabalho que tu fizeste! Foste elegido por nós nestes últimos três anos porque achamos que merecias. Outra coisa é que aquilo que muitas vezes pensamos não o dizemos mas reconhecemos. Tens aquilo que se costuma dizer:"Obra feita". Como estudante não tive a oportunidade de fazer a comparação da tua lista com outra de um ano para o outro. Achei que este era a altura ideal para haver mudança, ás vezes temos de dar a oportunidade aos outros para que eles pelo menos possam mostrar aquilo que são capazes. Ás vezes as mudanças são boas. Para nós estudantes e para ti para veres o teu trabalho por outro lado e para te tornares ainda mais forte.

Continuação agora de bons estudos!

Uma opinião de um estudante!

Alberto Cleto

Caro colega,
Apesar de nunca ter participado na associação de estudantes e de algumas vezes ter sido crítico em relação a algumas posições ou falta delas que a vossa lista teve, não posso deixar de fazer justiça agradecendo o trabalho e a dedicação que durante estes últimos 3 anos tiveram.
Fiquei como qualquer aluno da FEUP deveria ficar, chocado e desiludido com os factos ocorridos na tomada de posse, e por isso venho aqui demonstrar a minha indignação.
Sempre ouvi dizer que só temos uma oportunidade para deixar uma primeira impressão e realmente esta nova direcção não começou com o pé direito. E como também diz o povo o que nasce torto tarde ou nunca se endireita…
Acima de tudo as pessoas demonstram que apesar de estarem numa faculdade de engenharia mereciam era andar a “cavar batatas”, não porque seja desprestigiante ser agricultor mas talvez porque tenham educação semelhante às mós de um moinho rudes e frias. O que mais me entristece nisto tudo, é que demonstram não ter postura para momentos institucionais, mais que fazer á que saber ser e estar. Mais grave ainda não e este episódio triste e lamentável é que infelizmente estes serão o futuro do meu país, deste Portugal da mentira e da ignorância em que vivemos, porque eu acredito que a minha geração poderia ser diferente mas iludo-me porque com matéria-prima deste calibre só me resta acreditar na incineração.
Caro Paulo não seio o nome do “burgesso” que não te deixou falar, pena tenho que nem tu nem alguém mais “maduro” na sala não tenha mandado calar essa besta que deixa envergonhados todos aqueles que há mais tempo do que as nossas memória lembram lutaram para que pudéssemos ter liberdade de expressão.
Contudo o novo Presidente da AEFEUP passou a ter uma imagem de um ser desprovido de qualquer legume tomateiro capaz de dominar as feras que tem dentro de casa. Espero honestamente que as coisas ainda possam ter um rumo diferente, uma postura e uma “arte de saber estar” mais digna de um órgão que representa sete mil alunos, e que nesta hora já espalhou arrependimento naqueles que ilusoriamente lhe prestaram o seu voto.
Para que fique o registo ao excelentíssimo burgesso emancipado até pode achar que manda, mas não em mim nem naqueles que comungam do meu pensar, se mandar manda na sua tão triste ignorância porque a mim calar-me só debaixo de terra.

Por mais incrível que pareça nunca tive a felicidade de fazer parte da tua equipa, durante estes 3 anos em que foste presidente por ter assumido outros compromissos que eticamente me impediram ingressar na tua primeira lista vencedora!

No entanto, estivemos sempre juntos nos momentos onde os interesses da FEUP e dos seus alunos estavam em 1º lugar juntamente com muitos outros que aproveito para deixar uma saudação, mesmo quando as nossas opiniões divergiam!

Apesar desta situação, assisti ao teu crescimento como homem com valores e ideais bem definidos, onde o rigor, a verdade e a honestidade assumem particular importância.

Penso que não faltarei à verdade se disser que pertenço a uma elite de pessoas que pode partilhar contigo sem medo algum do teu sucesso, pois também sabes que tu contribuiste para o meu.
Tenho orgulho pelo imenso trabalho feito e, como último representante dos alunos de Engº Civil no Conselho Pedagógico, legitimamente eleito e que ainda estaria em funções não fosse a conclusão do curso uma realidade, posso dizer que direitos importantes foram conseguidos para os eestudantes ao longo destes anos.

Conheço-te bem e sei que não és, nem nunca foste pessoa para desistir nem que te deixes ir abaixo. O teu trabalho jamais pode ser reconhecido por pessoas que acabaram de pisar a faculdade ao invés daqueles que, como eu, entraram e já sairam e conheceram bem o que era ontem a AEFEUP e o que é hoje! Estas pessoas sempre te apoiaram e sempre te apoiarão.

Esperemos que aqueles que representam inúmeros grupos e organizações na FEUP e que têm enormes responsabilidades pelo seu passado, enquanto elementos interventivos na política educativa (e não só!), possam dizer o mesmo daqui a três anos!

Grande Abraço,
João Rodrigo A. Quintela

Paulo,

começo por te agradecer todo o trabalho por ti liderado, por vocês executado e por ti pensado em conjunto com a equipa da AEFEUP que trabalhou nos últimos anos.

Felizmente, não assisti à pouca vergonha que me chegou aos ouvidos. Acho impressionante que não se tenha um pingo de vergonha e de respeito por quem luta diariamente, supostamente, pela mesma causa (pensam eles..).

Sei que este momento triste, que poderia muito bem ser de tranquilidade e de passagem, vai ser ultrapassado e bem ultrapassado pois capacidades e méritos não te/vos faltam.

Conheço bem as tuas capacidades, sei bem como vai ser o teu futuro e precisamente por sabê-lo não tenho a mínima dúvida do sucesso que terás.

A todos os novos elementos da direcção e da MAG da AEFEUP apenas peço um melhor serviço ao que JÁ começaram a prestar e se calhar, não sabem que JÁ o estão a fazer. O hábito de trabalhar apenas de Março a Maio tem de ser alterado e começar JÁ a ser feito. É pena que em 3 anos não tenham aprendido nada em termos pessoais e de valores pessoais. Bem sei que 3 anos é pouco tempo para essa 'formação', mas pelo menos poderiam ter crescido com o íam vendo...

...não foi assim. É pena. Perdem eles, perdemos todos. Tu e a tua equipa JÁ ganharam! Tudo! Experiência, vivência, amigos, vida para além da Faculdade, sabedoria e acima de tudo, Respeito!

abraço
Luis Sousa

Há pessoas e pessoas. Há quem diga até que somos "todos diferentes, todos iguais".

Na passada sexta-feira, assisti a um acto que não foi de uma pessoa, nem de um Homem. Foi sim, uma atitude de alguém diminuído intelectualmente e que no alto do seu "ressabianço", resolveu faltar ao respeito a uma série de pessoas, que sendo elas muitas ou poucas, são pessoas e não são cães, gatos e muito menos ratos. A demonstração de falta de chá paternal foi tão evidente, que causou repulsa em alguns dos recém-empossados (em que mundo estaríamos se não causasse?!?!?). Compreendo que perder constantemente batalhas, seja uma frustração terrível, compreendo até que haja ódio, mas a superioridade não se demonstra assim. A boa-educação fica sempre bem, então quando estamos a falar de uma cerimónia temos de juntar a cordialidade, o bom senso e a categoria à tal boa-educação. Pois é, faltou isto tudo ao tal rapazinho inferior na passada sexta-feira.

Sou suspeito para fazer um comentário ao teu trabalho enquanto Presidente da AEFEUP mas tenho toda a legitimidade para o fazer porque:
1º sou teu irmão;
2º lidei e lido com quase todas as AE's do Grande Porto;
3º porque quero.

Tu foste sem dúvidas o melhor, o mais sério, o mais dedicado e o mais arrojado dirigente associativo do Grande Porto. Não sou só eu que o digo. Quem o reconhece, é a grande maioria das pessoas que conhece o teu trabalho e posso dar o exemplo do Reitor da UP.
Nunca te imaginei a liderares uma equipa, e assim tive dúvidas da tua capacidade enquanto Presidente da AEFEUP. Dúvidas essas que foram dissipadas ao fim de alguns meses de trabalho e que me permitem hoje ver em ti, alguém com um futuro bem promissor.

Espero que esse futuro surja e que a felicidade seja alcançada na sua plenitude. No que puder contribuir, contribuirei porque...

JUNTOS SOMOS ÚNICOS!!!

Foi um prazer ter feito parte da tua equipa, sinto-me orgulhosa de vestir esta camisola. Como tu dizes nem tudo foi bom mas o que interessa é que os aspectos positivos superaram os negativos, e agora no fim sabemos que melhoramos e evoluimos sempre para bem da nossa FEUP e tudo graças o teu enorme espirito de liderança. Comprometeste-te a erguer a nossa associação, e conseguiste com distinção!
Quanto à nova direcção, não me vou pronunciar, vou esperar para ver. Embora o começo tenha sido de uma imaturidade, uma falta de respeito e uma arrogância extrema.

Juntos somos únicos e continuaremos a ser!!

Beijinhos*

Paulo,
Apesar de apenas te conhecer de vista fico contente por ver que o teu mérito é reconhecido não só aqui no blog, mas também por essa UP fora.
Não me arrependo de forma alguma de ter sido dos poucos caloiros que teve a capacidade de não ser iludido e por isso apoiei a continuidade do teu/vosso projecto. E depois do que se passou na 6a feira ainda mais me orgulho de o ter feito.
E aí, mais uma vez, mostraste que estás uns furos acima na área do dirigismo associativo, ao teres tomado uma atitude correcta(fruto de muita experiência). Certamente que outros teriam agido de outra forma, não que o tal indivíduo não merecesse...
Deixo aqui os meus parabéns e votos de felicidades porque, apesar de apenas ter chegado este ano à FEUP, já me apercebi que realmente JUNTOS SOMOS ÚNICOS!

Bruno Miguel Oliveira

Por razões académico-profissionais não pude estar presente na sexta-feira para te poder dar um abraço e desejar-te todas as felicidades para o teu futuro e depois de me chegar aos ouvidos o que se passou senti-me duplamente angustiado por este meu impedimento.

No entanto, gostaria de te dizer que foste sem duvida das pessoas que mais admirei aquando do meu trabalho na AE, conseguias sem duvida ter pulso de lider numa associação de uma grandeza tal que se isso não acontecesse serias apenas mais um presidente. Mas não, posso-te dizer que te considero o meu presidente!

Ao longo da minha passagem pela FEUP, que com muita pena minha ainda nao terminou, considero que fui sempre um socio activo tento participado nas actividades associativas tanto como elemento de lista derrotada, como elemento lista de vencedora e como mero "cliente" das actividades da AE e digo com toda a certeza que foste tu a pessoa que me levou e incentivou a seguir por esse caminho. Foste tu, enquanto meu presidente, quem me dirigiu palavras de incentivo para poder continuar a fazer o meu trabalho que algo ingenuo aceitei apenas porque tu eras o presidente e porque a equipa que te acompanhava era uma equipa em quem eu acreditava! Representas para mim a imagem de um presidente perfeito - competente, INDEPENDENTE, corajoso e fundamentalmente sem quaisquer outros objectivos que não o proveito dos que a AE representa.

Por tudo isto, Paulo, tenho todo o respeito por ti e agradeço-te tudo o que fizeste por mim, como "mero" amigo e como aluno da FEUP. O meu muito obrigado.

Grande abraço!
Tiago Brunhoso Nunes

Paulinho,

apesar do meu acompanhamento destes teus 3 anos ter sido feito de uma forma distante, não posso deixar de reconhecer e de te deixar aqui uns sinceros Parabéns por todos os sucessos pessoais e profissionais que a tua dedicação permitiu alcançar!

Mantém esse teu espírito empreendedor sempre activo em todos os momentos da tua vida! Vais, sem dúvida, deixar a tua marca por cá!

Beijinhos

Diana Dóris Coelho

Amigo escrevo directamente de Fortaleza onde acompanho a vida no Porto de um Cyber! Parabéns e obrigado pelo trabalho desenvolvido pela vossa equipe directiva.
Apesar de ter saído há quase 10 anos da Mui Nobre FEUP, acompanho com interesse e especial sentimento, o que se passa nesta nossa mítica instituição!
Não me alongo...porque não vim de férias para escrever, mas não podia deixar de te enviar um abraço, pois foi com um abraço forte e com o coração que agarraste essa causa.
Pela minha parte...Obrigado!

Um grande abraço,
Paulo Curado

Analisando os relatórios de contas da AE, as coisas não são bem como tu descreves. Existem, de facto, coisas mal explicadas.

No entanto, considero que fizeste um bom trabalho nestes últimos três anos. Assim, felicito-te.

Bernado Lemos

PS - Não precisavas de fazer um blog, tomos nós sabemos que a atitude da lista E foi baixinha

Embora esta a expressar-me como um mero caloiro, de todas as intervenções politico-sociais assisti existiu sempre um propósito para todas elas, embora este caso não seja propriamente politico, envolve interesses maiores e de certa relevância... O discurso de o antigo elemento do cargo que está sendo no momento "entregue" ao abrigo de outra pessoa tem como fundamento mostrar qual foi a legacia pela qual essa pessoa e o grande motivo da sua escolha nas várias direcções que tomou durante o seu percurso. OUVIR é necessário para se saber o que se passou e o que se pode passar, infelizmente as pessoas passaram a ser "Papões" em vez de cidadãos... Mais do que uma falta de respeito assistiu-se a um descer de nivel que não pode constar numa pessoa de nivel Universitario que deve apresentar uma certa postura muito menos num elemento de ASSEMBLEIA, é vergonhoso!

Desde já os meus cumprimentos e acho que se deve tomar atitudes perante isto, n pode passar impune

ASS: André Madureira

A tua competencia e liderança à frente da AEFEUP foi algo que me surpreendeu! Apesar de te conhecer desde que entramos na faculdade, e saber que eras capaz de te tornar um bom presidente da AEFEUP, nunca imaginei que terias a força e o empenho que demonstraste nestes três anos!
É com pena, que soube o que se passou na passada 6ª feira, acho que nimguem merece, muito menos tu! Sei tambem que não te vais deixar afectar por estas atitudes!
Perante a comunidade da FEUP sais completamente de cabeça erguida, e com o sentimento de reconhecimento pelo teu trabalho e isso é sem duvida o importante.
Quem entrou para o teu lugar, demonstrou uma atitude de pau mandado, total falta de liderança e cobardia!
Um grande abraço deste teu amigo,

Bruno Tomé

P.S. Não quero deixar de mandar uma mensagem à personagem que na passada 6ª feira, teve a atitude deploravel na tomada de posse. Tenho a certeza que já aqui vieste varias vezes ler algumas das considerações que se tecem sobre ti.
Foste ridiculo, demonstraste uma total falta de respeito e pelo demonstrado educação.
Por fim dou-te um conselho: procura um psicologo!! Perder tantas vezes seguidas as eleições deixou-te ai dentro um ressabianço... olha k isso faz-te mal!!

Não sou de Engenharia mas, discretamente, tive a oportunidade de apreciar o teu/vosso trabalho durante os últimos anos. Devo confessar que de início não te percebi bem, não entendia onde querias chegar por ali, mas hoje não tenho dúvidas em considerar-te um dos melhores dirigentes associativos com que tive o privilégio de privar.

Não é apenas a FEUP que te tem de agradecer, mas todo o movimento associativo, pelo exemplo que tem em ti.

Caro Amigo,

Não sou muito de vivências académicas, mas admiro o trabalho de quem se dá voluntariamente e sempre me senti bem representada por ti.
Há 5 anos nesta casa, foi a primeira vez que me senti indignada com umas eleições da AE. Incomodada até.
Não apagues anos de boas recordações por uma ou outra situação menos feliz.
Não só é gratificante o sentimento de dever cumprido, como também as palavras de tanto estudantes que te louvam pelo trabalho feito. Eu agradeço :)

Aproveita agora para passar tempo com a família e amigos (e para estudar!) porque há coisas importantes que deixamos para trás quando nos dedicamos sem medida...

Continua a aplicar-te assim na vida que é importante
Beijinhos**

Todas as pessoas deste mundo possuem e têm um potencial ilimitado que, muitas vezes e em determinados momentos, é ignorado e sufocado. No entanto, chega o dia em que a vida dum rapaz muda e os seus talentos desconhecidos têm a oportunidade de serem mostrados e de serem conhecidos, e quando descobertos, poderam levar alguem como Paulo Vasconcelos a atingir níveis de produtividade que nenhum estudante da UP irá atingir.

Paulo, enquanto "andei por lá" fizeste com que a Aefeup fosse não só um local de trabalho mas também uma casa para todos os que lá estavam, tornando-se a Aefeup durante os teus 3 mandatos, não só um grupo forte de trabalhadores empenhados e leais a ti, mas também um grupo de amigos na qual todos sabemos o teu verdadeiro valor. Neste momento, um dos unicos estudantes da FEUP com capacidade para liderar uma casa com a dimensao da Aefeup és tu, disso não tenhas duvidas por mais que tentar apontar o dedo a criticar.

Criticar é facil, principalmente como cento e muitos efectivos o fizeram este ano pela lista E, em que 80% deles não sabiam o que falavam e criticava, criticavam porque sim e porque era fixe,diziam por dizer, porque pessoas como Miguel Fernandes (actual presidente da Aefeup, os mandava e eles como carneirinhos obdeciam ao pastor.

Estudo na feup à 3 anos, já assisti a 3 mandatos, a 3 eleiçoes, a 3 anos de VITORIA e há duas coisas que mais confusão me fazem que são:

1. Durante os 3 anos com Paulo Vasconcelos a liderar a aefeup, sem qualquer tipo de adversario a altura, PESSOAS COMO O Kenny E COMO O Ursinhodepeluche16, que já levaram tantas vezes no " rabinho " em eleiçoes da aefeup, alguem que me explique o porquê de eles terem insistido tanto durante 3 anos. A pergunta que fica no ar é ? LEVAR NO CU é bom ao ponto de o fazer durantes 3 anos, ou simplesmente ELES SAO APENAS UNS GAJOS SEM ETICA E CRENTES QUE ACHAVAM QUE CONSEGUIAM DEITAR-TE ABAIXO (FAIL)

2. Quando Mario Soares tomou posso da presidencia da Republica, Ramalho Ianes falou.
Quando Jorge Sampaio tomou posse da mesma, Mario Soares falou.
Quando Cavaco Silva tomou posse da mesma, Jorge Sampaio falou.
Quando Durao barroso tomou posse, Guterres falou
Quando Santana Lopes tomou posse, Durao Barroso falou.
Quando Socrates toumou posse, Santana Lopes falou.
Quando Filipe Almeida (presidente da FAP) tomou posso, Ivo Santos ( ex presidente) falou, se todos falam digam-me o porque de Paulo VAsconcelos nao ter falado? Será que foi por causa dum rapaz sem escrupulos que é presidente de Mesa da Assembleia Geral chamado KENNY ??

Cumprimentos do teu amigo

Hugo Oliveira - Pepe

PS: Como sei que este blog tem algumas dimensoes e que é visto por muita gente, aqui vai as minhas ultimas palavras para quem mais ajuda a aumentar as visitas deste blog, Miguel Fernandes:

QUANDO A CARA DE LUIS MATIAS E A CARA DE KENNY APARECEM, a credibilidade da tua lista desce logo 99% , é muita coisa pensa nisso, sabes que "Liderar é a tarefa mais gratificante de multiplicar talentos" , será que és capaz ??
Pimenta no cú dos outros é refresco !!!
Só te quero relembrar, basta um erro e POOOOOMMMMMMM....

Sou acima de tudo um aluno de Engengaria, começo o meu texto com esta frase porque acima de tudo lutamos todos pelo mesmo apesar de não parecer. Começo também desde já por dizer que faço parte da lista E. Acho o texto bastante interessante e quem te muito conteúdo de verdade. Também deve ser dito e enaltecido o bom trabalho feito nos últimos três anos.
Agora não pude deixar de ler os comentários depreciativos que dizem que a nossa lista desceu de nível no dia da tomada de posse. Eu pergunto-me quantos dias houveram entre o último dia das eleições e a tomada de posse? Como dirigente assoviativo e Presidente experiente, que eu respeito, acho que para se dirigir aos alunos deveria ter sido ele a tomar a iniciativa de tal facto e não esperar que o nosso lado lhe preparasse um momento para tal. Olhando a casos reais como é nos EUA o Bush fez o seu discurso 5 dias antes de o Obama tomar posse, pelo que acho incorrecto estes comentário depreciativos.
Mesmo pensado que poderia ter sido dada a oprtunidade de falar ao sr. Paulo Vasconcelos, o que se seguiu entristece-me profundamente, porque não fomos só nós que demonstrámos falta de respeito, mas sim todos aqueles que se levantaram todos ao mesmo tempo (como se já tivesse sido preparado) e em vez de sairem silenciosamente criticaram insultaram e gritaram contra a outra lista, é verdade que ouvir é muito importante, mas saber o "timing" em que temos de falar ainda mais o é, por essa mesma razão felicito a escrita deste comunicado e agradeço todo o trabalho que foi feito por mim e por qualquer estudante de Engenharia.

Cumprimentos

Bruno Paulo