You are here

[Assembleia Estatutária] Relatório da minha participação

Com a publicação em Diário da Republica dos novos estatutos e posterior marcação das eleições para os novos órgãos de gestão da FEUP, dou por encerrada a minha participação na Assembleia Estatutária.

Como tal, elaborei este pequeno relatório da minha actividade neste órgão, pois aquando da minha eleição assumi um compromisso com todos aqueles que confiaram em mim.

Ao longo dos últimos anos, a Universidade do Porto foi alvo de diversas mudanças com consequências óbvias no quotidiano dos estudantes. Depois da passagem ao regime fundacional e a consequente publicação dos novos Estatutos, encarei com profunda importância uma candidatura à Assembleia Estatutária da FEUP.

Sabendo que a FEUP se apresenta, actualmente, como uma das maiores e mais produtivas instituições de ensino superior público do país. Com este novo modelo organizativo e de gestão, abrem-se portas para um futuro que poderá ser ainda mais promissor.

Assim, reunindo um grupo de estudantes dedicados e com reconhecido valor na defesa dos interesses dos seus colegas encabecei uma lista candidata à Assembleia Estatutária da nossa faculdade, tendo sido eleito.

Chegada a hora de afirmar uma FEUP unida como referência ambiciosa no ensino e na investigação, de afirmar que a vocação da FEUP é criar e transmitir conhecimento e que é necessário preparar os seus estudantes para o mercado de trabalho, fi-lo de maneira consciente da responsabilidade de viver de acordo com aquilo em que acredito.

O trabalho desenvolvido neste órgão foi muito importante na definição do futuro da nossa faculdade, pois foram definidas as competências dos órgãos com que terás de lidar todos os dias. Neste sentido, tentei, sempre, garantir que também no futuro a voz dos estudantes será ouvida.
De forma, a promover troca de experiências, pontos de vista e a concertação de estratégias para que fosse garantida uma representação estudantil bem sucedida, disponibilizei-me desde logo a reunir e trabalhar com os membros eleitos da lista oposta.

Consciente da importância deste processo, mantive sempre uma postura séria, atenta, pró-activa, dinâmica, consciente e sensata, tendo sido o único estudante a marcar presença em todas as reuniões deste órgão, elegi um conjunto de temas que mereceram especial atenção e cuidado.

Tentando garantir a maximização da representação estudantil, formulei e trabalhei em propostas para a composição do Conselho de Representantes, do Conselho Pedagógico e do Conselho Executivo, assim como, criei tópicos de discussão nos WebForos do siFEUP, de modo a promover o debate de opiniões e sugestões entre todos os estudantes. Sendo a Assembleia Estatutária composta por maioritariamente docentes estas propostas nunca foram bem aceites pelos mesmos, tendo sido, quase todas chumbadas. Deste modo, demonstrei por diversas vezes o meu desagrado a todos os membros.

Propus ainda a introdução nos estatutos da FEUP o reconhecimento desta ao associativismo estudantil sendo inserido ainda, por proposta minha, o reconhecimento da AEFEUP como parceira privilegiada da FEUP na prossecução da sua missão e ainda como uma estrutura de consulta no âmbito da legislação. Como plataforma de consulta, propus ainda a criação de um órgão que reúna os estudantes representantes das Comissões de Acompanhamento e um representante da AEFEUP.

Juntamente com os membros eleitos da outra lista de discentes, promovi uma sessão de apresentação de um draft dos estatutos aos estudantes, que infelizmente não teve a participação desejada.

Durante todo este processo, foi ainda notória a falta de interesse demonstrada pela AEFEUP, legitima representante de todos os estudantes da FEUP, pois nunca emitiu pareceres oficiais, não promoveu o debate e discussão no seio da sua Assembleia Geral, para a elaboração e aprovação de moções. Tendo o seu representante máximo, o Presidente da Direcção, estado presente na reunião de audição da comunidade FEUP, sem que tenha feito qualquer declaração. Deste modo, poderiam ter sido conseguidas algumas vitórias no que à representação estudantil diz respeito. Fica assim, demonstrada desta forma a minha enorme tristeza com esta situação.

Ainda assim, tenho consciência de que estão reunidas as condições para que a FEUP se possa afirmar ainda mais no panorama nacional e internacional das instituições de ensino superior.

Termino, com o desejo que os desígnios de missão identificados para a FEUP sejam alcançados, que exista uma correcta utilização das autonomias que competem à Faculdade e que seja promovido um elevado nível motivacional do seu capital humano, como garanta a eficaz gestão e controlo dos meios colocados ao dispor, com as necessárias flexibilidade, capacidade de decisão em tempo útil e pro-actividade nos processos de mudança.

Comentários

Peço desculpa a todos aqueles que receberam 2 emails, mas deveu-se a um erro de actualização da página no browser.

Primeiro um agradecimento pelo que me parece um bom trabalho que realizou na Assembleia Estatutária.

Em segundo lugar,
tenho de deixar aqui um comentário de compreensão com a falta de participação dos estudantes nestes assuntos. Quando o assunto é de relevância superior para estudantes, pois irá afectar 5 ou 4 anos da vida de estudante deles, estes têm menos noção do funcionamento da universidade e por isso pouco participam.
Os quem já percebem mais o impacto destas decisões são aqueles que compreendem que o esforço necessário para dar a sua perspectiva rouba-lhes tempo necessário a outros interesses como terminar o terminar, e pior, pensam que não vale a pena pois brevemente irão terminar o curso.
Assim, apenas o que ficarão na Universidade mais tempo, professores e funcionários, desenvolvem os esforços necessários para serem ouvidos.

Não sei como estes dois factores que propiciam a falta de participação podem ser minorados mas espero que o sejam pois, professores e funcionários, esquecem muitas vezes que estão ali por causa dos alunos.

PS: Claro que a falta de interesse generalizada de participação "democrática" será ainda o factor principal. Mas isso é outra "guerra".